Início » Setembro Amarelo como os pets podem ajudar

Setembro Amarelo como os pets podem ajudar

Setembro Amarelo como os pets podem ajudar

Depressão e ansiedade são consideradas as patologias do século para os humanos. Por outro lado, os chamados filhotes de pandemia, também desenvolvem ansiedade. Isso porque em período de isolamento, os pets sofreram de falta de independência dos seus humanos que mal saíram de casa durante 2020. E embora sejam patologias graves para humanos e pets, a campanha de setembro amarelo nos alerta que juntos podemos superar isso. Mas você sabe como os pets podem ajudar no tratamento de depressão, ansiedade e outros transtornos psicológicos? 

Setembro amarelo significado

Setembro amarelo é uma campanha que visa conscientizar sobre a importância e gravidade de doenças psicológicas em humanos e que pode levar ao suicídio. Durante a campanha, além de alertar sobre os sintomas e perigos de tais transtornos, em especial a depressão e ansiedade, é importanteentender que:

  • Depressão não é frescura e nem passa saindo pra se distrair.
  • Tratamento com psicólogos e psiquiatras é fundamental para a recuperação da saúde mental
  • E negligenciar ou diminuir o problema não ajuda e pode empurrar o outro para o suicídio.

Isso porque, segundo dados da OMS (Organização Mundial da Saúde) todo ano mais de 1 milhão de pessoas cometem suicídio por crises causadas por transtornos psicológico, em todo o mundo. Contudo, acredita-se que 90% delas não buscaram ou não tiveram atendimento de qualidade para evitar esta atitude extrema.

Por isso, ao setembro amarelo é tão importante para alertar e entender que minimizar o problema do outro não é o caminho e aumenta o índice de suicídio.

Como o pet pode ajudar?

Uma das opções de tratamento e terapia para transtornos psicológicos é a TAA, terapia assistida por animais. Para pessoas que sofrem de ansiedade, depressão, síndrome do pânico e outras doenças psicológicas e gostam de animais, a TAA pode ser recomendada como terapia alternativa com ótimos resultados.

A TAA consiste na adoção ou aquisição de um pet, (geralmente cães, mas podem ser outras espécies desde que se adaptem à sua rotina), e traz o animal como apoio emocional. O papel do animal é levar bem estar físico, emocional, social e cognitivo, tendo ele como principal componente terapêutico do tratamento. Nesta terapia, o animal funciona como suporte para momentos de crises, promovendo melhoras significativas comprovadas em estudos, a ponto de substituir medicações.

Isso acontece porque o toque, a troca de carinho, as caminhadas e a interação com animais promovem redução da ansiedade e baixam os níveis de stress. Com isso regulam frequência cardíaca e pressão arterial, trazendo equilíbrio físico para o corpo e distração para a mente.

Mas vai além disso, ter um animal de apoio emocional traz suporte para quem lida com timidez, medo de enfrentar situações difíceis, ânimo para o depressivo sair da cama devido a responsabilidade com o pet, companhia eficaz para momentos difíceis em que uma pata amiga faz toda a diferença.

Pet terapeuta

O pet terapeuta de TAA é um animal comum, mas que cria uma conexão com seu tutor que precisa de apoio. Geralmente são adotados ou adquiridos ainda filhotes e não precisam ter uma raça ou porte específico. Isso porque o mais importante é dosar a personalidade e energia do pet com a rotina e estilo de vida do humano em tratamento.

Afinal, se você quer um animal de apoio para uma vida agitada, como muita atividade física e deslocamento, é fundamental buscar um pet cheio de energia para te acompanhar. Por exemplo, você pode ter um border collie, labrador, cães pastores ou terriers. Entretanto, se você tem uma vida mais caseira, com home office, pense em um chow chow, bulldog, pequinês ou bernese.

Além do alinhamento de disposição do pet terapeuta, ele precisa ser adestrado para que a missão de apoio emocional não seja estressante para animal. Isso porque é fundamental preservar o equilíbrio mental do seu pet também. Para isso é importante o pet receba adestramento positivo contando com socialização com outros animais, pessoas e ambientes que façam parte da sua rotina. Além de aprender comandos de obediência que facilitam a comunicação com o pet e garantem a segurança do animal nas saídas para diversos momentos e acidentes, como um falha na coleira.

A TAA pode ajudar a reestabelecer a saúde mental e caminho de prevenção ao suicídio, claro com assistência de um profissional.

E você já conhecia sobre o setembro amarelo e a TAA? Comente e compartilhe com seus amigos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *