Vitamina D3 (Calcitriol)

exame-categoria-bioquimicos-outros-laboratorio-veterinario-vetex

Amostra: soro.

Recipiente: tubo sem anticoagulante (tampa vermelha).

Conservação: refrigerado (2 a 8 °C) até 48 horas.

Indicações: a vitamina D3 (colecalciferol) é oriunda à partir da dieta e do metabolismo do colesterol. Nos hepatócitos ela é transformada em calcidiol (25-hidroxicolecalciferol) pela ação da enzima 25-hidroxilase. O calcidiol é convertido em calcitriol (1,25-di-hidroxicolecalciferol) nas células tubulares renais pela ação da enzima 1α-hidroxilase. O calcitriol induz ao aumento sérico de cálcio por estimular a absorção intestinal, a reabsorção óssea e a reabsorção tubular proximal de cálcio. Os níveis baixos de metabólitos da vitamina D (calcidiol e/ou calcitriol) podem estar presentes em deficiências nutricionais, doenças intestinais, insuficiência renal crônica, hipercalcemia maligna (linfoma, adenocarcinoma de saco anal…). Já níveis aumentados podem estar relacionados à intoxicação por vitamina D (ex: rodenticidas à base de colecalciferol), doença granulomatosa, hiperparatireoidismo primário…

Observações:

1 – Insuficiência renal crônica pode resultar em síntese inadequada de calcitriol.

2 – Macrófagos ativados podem produzir 1α-hidroxilase. Como consequência, doenças granulomatosas podem causar aumento de calcitriol.

3 – Como o calcidiol possui meia vida sérica mais longa que o calcitriol (em torno de 3 semanas comparado com 4 a 6 horas no caso do calcitriol), e também pelo fato de depender primariamente da dieta, propicia uma melhor indicação da condição geral de vitamina D proveniente da dieta.

4 – De forma geral, a concentração sérica de cálcio está aumentada em todas as causas que elevam os níveis de calcitriol.

No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.