Estradiol

exame-categoria-endocrinologia-laboratorio-veterinario-vetex

Amostra: soro.

Recipiente: tubo sem anticoagulante (tampa vermelha).

Conservação: refrigerado (2 a 8 °C) até 2 dias.

Indicações: é o hormônio responsável pelo comportamento de cio. Nas fêmeas, o estradiol é produzido principalmente pelos folículos ovarianos. Nos machos, os testículos produzem pequena quantidade de estradiol. Os níveis aumentam durante o proestro e estro, e se mantêm baixos durante o diestro e anestro.  Hiperestrogenismo em machos pode ser observado em tumores de testículo (cães), e em fêmeas, na presença de cistos foliculares ovarianos ou tumor de célula granulosa, provocando cio persistente. Em suspeita de ovário remanescente, a concentração de estradiol pode fornecer informações úteis para o diagnóstico, sendo que valores altos sugerem tecido ovariano remanescente, mas concentrações baixas não descartam a possibilidade, pois os níveis podem ser baixos mesmo em fêmeas não castradas. A citologia vaginal pode auxiliar nesta situação.

Observações:

1. Centrifugar e separar o soro rapidamente, em até 1 hora após a coleta.

2. Uma única amostra obtida aleatoriamente pode não ser representativa. Portanto é importante saber qual a fase do ciclo estral no momento da coleta.

3. Quando os sinais clínicos são de natureza cíclica, a amostra deve ser coletada durante o cio.

4. Progestinas, estrógenos e testosterona suprimem a liberação de GnRH, FSH e LH, consequentemente do estradiol.

5. Descartar a amostra em caso de hemólise ou lipemia acentuada.



Fale Conosco whatsapp